Saiba como as empresas justificam o alto preço dos videogames no Brasil

Posted: sábado, 14 de agosto de 2010 by Luis Guilherme in
6

O lançamento do PlayStation 3 no Brasil na quarta-feira (11), quase quatro anos após a chegada do videogame da Sony ao mercado norte-americano e japonês, pode ser comemorado por conta de, finalmente, o país ter a presença oficial dos três consoles da atual geração. Entretanto, o preço do aparelho, R$ 2 mil - nos EUA, o mesmo produto é vendido pelo equivalente a R$ 530 - levanta a velha questão que há anos vive na cabeça dos gamers brasileiros: por que os videogames são tão caros por aqui?

Empresas como Sony, Nintendo (Wii) e Microsoft (Xbox 360) trazem consoles que custam, em média nos Estados Unidos US$ 200, por mais de R$ 1.500 no Brasil.. A justificativa dada por todas é que o que eleva o preço dos videogames no Brasil é a alta carga tributária praticada por aqui.


imagem

Como os videogames são produtos importados, as empresas devem pagar uma série de tributos para que o produto possa entrar no Brasil. De impostos federais, são cobrados imposto de importação, Pis, Cofins, e IPI (imposto sobre produtos industrializados), que somados com o ICMS estadual, faz com que os videogames tenham 164% do seu valor taxado em impostos.

De acordo com a Receita Federal, toda a mercadoria que entra por importação no Brasil deve ser classificada conforme uma nomenclatura universal. Na Norma Comum do Mercosul (NCM), o videogame possui a classificação fiscal de número 9504.10.10, o que permite à Receita calcular o imposto sobre o aparelho.

imagem

Quando uma empresa traz um videogame para o Brasil, ela deve pagar, sobre o valor do produto, 20% de imposto de importação, 1,65% de Pis, 7,60% de Cofins, 50% de IPI e mais 25% de ICMS caso o produto entre pelo Estado de São Paulo – cada Estado possui um valor de ICMS.

Com estas tarifas, um produto que custa R$ 100 acabará custando R$ 264, com 164% do seu valor em impostos. De acordo com a Receita Federal, essa série de impostos que são cobrados para trazer produtos importados visa manter uma “competição saudável” entre as mercadorias nacionais e estrangeiras.

Ainda, para conseguir chegar ao valor no qual o videogame é comercializado oficialmente no Brasil, é necessário levar em conta outros custos que Sony, Microsoft e Nintendo pagam. Existem valores da operação de importação, que envolve embarcar produtos em navios e trazer para o país, o valor aduaneiro, seguro, custo da manutenção das lojas e margem de lucro para os lojistas.


imagem

Segundo Marcos Khalil, dono da rede de lojas especializadas em games UZ Games, a margem de lucro praticada no Brasil para a venda de consoles varia entre 9% e 11%. "Para o console essa margem sempre foi apertada, mas isso é um padrão mundial", disse. Para jogos, a margem sobe para 27 e 30%. Para fechar o valor do videogame, ainda deve ser levado em conta o valor do dólar na conversão no dia.

As fabricantes de consoles podem subsidiar a venda do aparelho, para lucrar com a venda de jogos. Durante o lançamento oficial do PlayStation 3 no Brasil, Anderson Gracias, gerente da divisão PlayStation no Brasil, afirmou que a Sony está cobrindo parte do custo do aparelho."Os impostos prejudicam o consumidor final, que estará pagando todas essas taxas", diz Marcos Khalil. "O governo já percebeu que isso está errado e existem iniciactivas para mudar essa realidade".

6 comentários:

  1. Só faltava esta! kkkk Boa matéria!

    Novo agregador de links. Divulgue seu blog ou site!

    http://migre.me/15z5L

  1. Meus ovos says:

    Brincadeira né. Que diabos de concorrência saudável com produtos nacionais? Se tratando de consoles 99,9% é importado, e os unicos que são fabricados no Brasil mesmo são muitíssimo inferiores, vide esses consoles nacionais que ainda rodam games no estilo do NES, 64, Dream Cast e por aí vai.
    A real mesmo é a gente pagar 3x e alguma coisa a mais por um produto simplesmente pra bancar as férias em Acapulco e os milhões que esse bando de político corrupto desvia pra contas na suíça e sei-lá-mais-onde!

  1. Lucas says:

    "O governo já percebeu que isso está errado e existem iniciactivas para mudar essa realidade". Que iniciativas são essas???

    Sinceramente... desse jeito o negócio é continuar comprando video game na 25 de Março!
    Quem vai ser o louco q vai pagar R$ 2.000,00 num PS3???
    francamente....

  1. Os impostos aqui no Brasil são realmente aburdos, fiz uma postagem parecida com essa sua em meu blog, porém do lado da pessoa física. Acredito que isso não vai mudar nem tão cedo, o governo ganha muito, mas muito dinheiro com isso, e a única coisa que podemos fazer é continuar comprando piratas mesmo, se bem que se houvesse uma alteração nisso, teriamos mais acesso a produtos originais e a pirataria iria diminuir, mas fazer o que se eles também ganham com a pirataria...
    Vou linkar sua postagem em meu blog, parabéns pela matéria.

    http://www.net-ativa.com/

  1. Frederico says:

    Bom...
    Se baixar o valor dos impostos os Municípios, estados e a União vão arrecadar menos R$, como vão manter o "faz me rir" dos graudos.
    Se baixarem o preço vamos comprar na loja, com nota, fazer o R$ girar mais e consequentemente gerar mais empregos e mais R$ pro governo.
    Enaquanto isso, pessoas ganham muita grana outros pouca grana e a gentecontinua encomendando as coisas no paraguai...

  1. O preço do Xbox no EUA em comparaçao ao Brasil é um absurdo!!!!
    Por iss nem investi na nova geraçao de video games,o velho PS2 por enquanto ainda fica na batalha